03/02/2021 às 13h53min - Atualizada em 03/02/2021 às 15h20min

Estudo melhora a precisão das estimativas de risco de câncer de mama para mulheres sem histórico familiar

Mayo Clinic analisou os achados do estudo

SALA DA NOTÍCIA Carlos Silva
https://www.mayo.edu/
Pexels

Um novo estudo multi-institucional liderado pelo Fergus Couch, Ph.D, um patologista da Mayo Clinic, fornece estimativas mais precisas do risco de câncer de mama para mulheres dos EUA que têm mutações herdadas nos genes de predisposição do câncer de mama. Os achados do estudo CARRIERS Consortium, que foram publicados na quarta-feira, 20 de janeiro no The New England Journal of Medicine, podem permitir que os profissionais de saúde avaliem melhor o risco de câncer de mama em mulheres, muitas das quais não têm histórico familiar de câncer de mama, e forneçam estratégias de manejo de risco mais adequadas.

“Tradicionalmente, o teste genético de genes herdados do câncer de mama tem se concentrado em mulheres de alto risco que têm um forte histórico familiar de câncer de mama ou aquelas que foram diagnosticadas em uma idade precoce, como abaixo de 45 anos”, disse o Dr. Couch. Ele diz que as estimativas atuais do risco de câncer de mama fornecidas às mulheres quando descobrem que têm uma mutação relacionada ao câncer de mama são, na verdade, apropriadas apenas para aquelas que estão em alto risco e não para as mulheres da população em geral. 

No estudo CARRIERS Consortium, os pesquisadores conduziram testes genéticos de câncer hereditário de 12 genes de câncer de mama estabelecidos em 32.247 mulheres com câncer de mama e 32.544 mulheres de idades semelhantes sem câncer de mama de vários grandes estudos populacionais dos EUA. Ao analisar as mulheres desses estudos de base populacional, os pesquisadores foram capazes de entender melhor como as mutações eram frequentes entre os vários genes do câncer de mama e estimar com mais precisão o risco de desenvolver câncer de mama para mulheres na população em geral com mutações nesses genes.

“O risco de desenvolver câncer de mama costuma ser menor para mulheres sem histórico familiar da doença”, diz o Dr. Couch. “Quando olhamos para todas as mulheres, descobrimos que 30 por cento das mutações do câncer de mama ocorreram em mulheres que não são de alto risco”. O Dr. Couch diz que antes deste estudo, essas mulheres não eram capazes de receber estimativas precisas do risco referente ao câncer de mama. Ele também observou que esses achados foram semelhantes para mulheres brancas, negras e hispânicas. 

O Dr. Couch prevê que as clínicas de câncer de mama usarão as novas estimativas de risco para fornecer avaliações de risco mais precisas para mulheres sem histórico familiar de câncer de mama. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp