09/03/2021 às 09h48min - Atualizada em 09/03/2021 às 09h48min

Polícia Civil de Catalão prende em flagrante estelionatários de MG que, com documentos falsos, fizeram escrituras em cartório de Catalão

9°DRP
9°DRP
A Polícia Civil de Goiás através da equipe de policiais civis da 2a DDP/Catalão/9a DRP, prendeu em flagrante ontem (08.03.2021) dois indivíduos, um homem de 47 e uma mulher de 45 anos de idade, ambos suspeitos da prática dos crimes de falsificação e uso de documentos públicos falsificados e falsidade ideológica.

Segundo a investigação, um cartório de notas de Catalão registrou duas ocorrências, em janeiro e fevereiro de 2021, noticiando que possivelmente indivíduos, após obterem dados de imóveis e de seus proprietários, usando documentos falsificados e, com uso de "laranjas" que se passavam pelos proprietários dos imóveis, se dirigiam a cartórios de outras cidades e aí faziam escrituras ou procurações simulando a venda dos imóveis para outro participante do esquema (possivelmente também usando documentos falsos), quando então, vendiam os imóveis pelo valor de mercado para terceiros de boa fé.

Deste modo, após análises da documentação e do "modus operandi" e uso de inteligência policial, foi possível obter informação de que tais suspeitos, oriundos de Uberlândia-MG, estariam usando documentos falsos e viriam a Catalão novamente para lavrar uma procuração pública transferindo um terreno de Uberlândia para um suposto procurador.

Após chegarem no cartório de notas e ser lavrada a procuração, a equipe da PC os abordou, lhes deu voz de prisão e os conduziu à sede da 2a DDP, onde ao serem interrogados, a investigada expressamente confessou que fora procurada pelo conduzido (e outro comparsa, a ser identificado) para que se passasse por outra pessoa, como se fosse a dona de um imóvel que seria transferido com uso de um RG e comprovante de residência falsos, sob promessa de receber R$2.000,00 pela participação no esquema.

O outro investigado, possivelmente um dos mentores do esquema, também preso, afirmou ser apenas despachante e a acompanhava a pedido de um "cliente".

Assim, diante dos elementos colhidos, foram apreendidos diversos documentos de imóveis, a prisão foi ratificada e ambos foram autuados em flagrante delito pelos *crimes tipificados nos arts. 297, 299 e 304, do Código Penal*, os quais, após as formalidades legais foram encaminhados ao sistema prisional onde à disposição da Justiça. As investigações prosseguem visando identificar demais co-autores e partícipes.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp