25/03/2021 às 22h42min - Atualizada em 25/03/2021 às 22h42min

Estudo aponta que Auxílio Emergencial foi única renda para 180 mil goianos

Pesquisa foi realizada entre maio e novembro

A Redação
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Um levantamento realizado pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB), vinculado à Secretaria-Geral da Governadoria (SGG), indica que o Auxílio Emergencial do Governo Federal foi a única fonte de renda de 181.306 pessoas residentes em Goiás em novembro do ano passado.
 
Para a elaboração do estudo "População Vulnerável com o fim do Auxílio Emergencial em Goiás", o IMB analisou dados referentes aos meses de maio a novembro do ano passado. Do total de domicílios goianos, 39,9% receberam o benefício em maio e 43,1%, em novembro.
 
A análise traz um recorte regional para a Região Metropolitana de Goiânia. Em novembro, 28% dos domicílios com renda exclusivamente proveniente do AE se encontravam na Grande Goiânia, sendo 18% apenas na capital.
 
O IMB demonstra que, mesmo com a liberação da maior parte das atividades econômicas no fim do ano passado, o que oportuniza a aferição de outros rendimentos, a diminuição do valor do AE nos últimos meses de sua concessão teve grande impacto na sustentabilidade de milhares de domicílios goianos. Por isso, o auxílio se torna ainda mais importante em períodos de restrição das atividades econômicas e sociais, como o que Goiás e vários outros Estados estão enfrentando por causa do agravamento da pandemia.

Mesmo com a grande abrangência do AE, no País e em Goiás, a análise do IMB detectou que, em maio do ano passado, 144.224 pessoas estavam sem qualquer rendimento no Estado, número que baixou para 28.172 pessoas no mês de novembro. Com relação aos domicílios, os números passaram de 60.371 para 13.142 no mesmo período.
 
O estudo pode ser conferido na íntegra no site do IMB
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp