15/02/2022 às 14h51min - Atualizada em 15/02/2022 às 14h51min

Ismael: Queda nos pedidos por UTI sinaliza redução nos casos de covid-19

Secretário reforça importância da vacinação

A Redação
Divulgação
"Já começamos a perceber a queda no número de pedidos de vagas em UTI [Unidade de Terapia Intensiva]." A fala do secretário de Estado da Saúde (SES-GO), Ismael Alexandrino, em entrevista ao jornal A Redação na noite de segunda-feira (14/2), mostra otimismo na possível redução de casos da covid-19 nos próximos dias. 

"O número [de infecções] ainda está grande porque a variante que é predominante, a Ômicron, é muito transmissível. Mas o nível de letalidade e complicações dela é baixo. Ela está começando a reduzir os novos casos, como eu previa lá em novembro - provavelmente em meados de fevereiro ela começaria a diminuir", disse Ismael durante a solenidade de entrega do Prêmio Mais Influentes da Política em Goiás, realizado no plenário da Câmara de Goiânia.

De acordo com o titular da SES-GO, nos últimos cinco dias Goiás começou a perceber uma diminuição nos novos pedidos de vagas em UTI. "Quando esse número reduz, a gente percebe nos próximos dias a redução também do número de casos, do número de óbitos. Essa é a expectativa até o final do mês."

Novo repique de casos
Ismael informou que a SES-GO trabalha com a possibilidade de um novo repique de casos de covid-19 15 dias após o carnaval. "Mas em menor escala. Não será suficiente para precisar adotar nenhuma medida restritiva", completou Ismael. 

O titular da Saúde explicou que agora "as estratégias são outras". "A grande maioria da população está vacinada, que é o que queríamos. Precisamos, como sociedade, buscar uma certa normalidade do convívio, se assim pode ser dito", avaliou.

Vacinar, vacinar e vacinar
Ao reforçar que as vacinas contra covid-19 são eficazes, seguras e efetivas, Ismael defendeu que o principal objetivo é ampliar a cobertura vacinal no Estado. "Encorajar a vacinação é a nossa principal arma, nossa principal estrátégia, seja de criança, seja de adulto."

O secretário lembrou que começou a ser veiculada na segunda-feira uma campanha publicitária "para reforçar a necessidade da vacinação". "E é inegável. Não podemos abrir mão disso, não podemos transigir em relação a isso. Não podemos titubear em relação à vacinação", pontuou.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp