28/12/2020 às 13h20min - Atualizada em 28/12/2020 às 13h20min

Número de casos de covid em janeiro deve definir retorno de aulas em Goiás

Festas de fim de ano podem aumentar indicadores de contágio no estado; por ora, instituições podem receber 30% da capacidade no ensino presencial. Instituições particulares querem aumento do mínimo presencial para 50%

Eduardo Pinheiro
Mais Goiás
Rubens Cavallari / Folhapress

Secretaria de Estado da Educação (Seduc) aguarda nota técnica a ser publicada em janeiro de 2021 pelo Centro de Operações de Emergências (COE) em Saúde Pública para a definição da quantidade de estudantes a voltar às aulas presenciais em Goiás. Por enquanto, segue escolas seguem o padrão de retorno de 30% de ocupação de cada instituição de ensino estabelecido ainda em outubro. A secretária de Estado da Educação, Fátima Gaviolli, apontou ao Mais Goiás que as alterações dos indicadores após as festas de fim de ano serão cruciais para futuras definições.

“Caso não haja alterações nos indicadores, seguimos com 30%”, disse. Os critérios definidos para retorno seguro é a diminuição do número de mortes e ocupação dos leitos abaixo dos 75% por quatro semanas. O que foi conseguido já em outubro.

No entanto, especialistas, e o próprio governo estadual, trabalham com a hipótese de crescimento do número de casos no estado. A aglomerações provocadas pelas reuniões de família durante as festividades de fim de ano podem determinar o avanço da covid-19 entre a população que ainda não teve contato com o coronavírus, o que pode provocar novo repique nos gráficos.

Assim, a nota técnica deve indicar como se deu o alastramento do vírus entre os residentes em Goiás e a ocupação de leitos nos hospitais goianos.

Levantamento do Mais Goiás aponta que o estado teve 5.257 novos casos (aumento de 1,8%) e 111 novos óbitos (aumento de 1,7%) na semana passada. Segundo o painel da Secretaria de Estado da Saúde, a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva em Goiás está em 53,22% e enfermaria em 41,71%. UTI exclusiva para covid-19 está com 49,89% dos leitos ocupados, enquanto enfermaria para pacientes da doença está com 31,35%.

Retorno

As escolas particulares, entretanto, elaboram solicitação de aumento de ocupação nas escolas para 50% da capacidade. O argumento é que a demanda de aulas presenciais aumentou para 2021 e os protocolos têm sido cumpridos rigorosamente.

Por enquanto, o retorno às aulas segue recomendação adota em novembro. Com limite de 30% da capacidade total de cada instituição. O estado prepara retorno em sistema de rodízio. Com alunos indo presencialmente à escola de forma alternada. Assim, continuará a adoção das aulas mistas, ou seja, parte presencial parte virtual.

As medidas de segurança e higiene pessoal, como distanciamento entre estudantes, uso de máscaras e álcool gel, continuam obrigatórias.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp